sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O Álibi Fraternal

                                                                            Arte: Juliana Sabbatini



- Com quem você estava ontem?

- Com quem eu disse que estaria?

- Não banque o espertinho! Não era sua irmã e não minta pra mim, quem era?

- Minha irmã...

- Não minta pra mim, já disse!

- Não minto...

- Vocês estavam de mãos dadas!

- É a minha irmã, tenho esse direito.

- Mas estavam muito afetuosos, não está certo...

- É assim que nos tratamos. Sinto que não tenha irmãos, não seria diferente entre vocês.

- Eu liguei na sua casa de madrugada e ninguém atendeu!

- Porque não tentou o celular?

- Porque eu te queria em casa...

- Eu estava em casa, só não fui até o telefone porque estava cansado. Se soubesse que era você...

- E quem mais seria, de madrugada?

- Alguém que não tem o número do meu celular...

- E você ao menos ouviu o telefone tocar?

- Claro, só estava cansado demais. Minha irmã passa por apuros no casamento e a noite foi bastante longa no restaurante.

- Engraçado...

- Não, não tem graça nenhuma!

- Não é isso, engraçado dizer restaurante porque, quando liguei, você estava entrando em uma boate, acompanhado.

- Espere! Estou sendo seguido?

- Não, foi o acaso que te pegou. A Marta tomava um café do outro lado da rua quando te viu.

- E sua amiga me viu saindo?

- Faz diferença?

- Eu entrei para deixar minha irmã com algumas amigas. Ela não queria ficar sozinha e eu fui embora dez minutos depois!

- Você mente...

- Se tivesse me ligado no celular, nada disso teria acontecido... Aliás, eu deveria ter atendido ao telefone, a culpa é toda minha!

- Escuta, também não fique assim. É que estamos juntos há algum tempo e fico insegura, com medo de te perder...

-Eu também! Não quero te perder, docinho.

- Mas ainda há tanto para conhecermos sobre o outro, não acha?

- Tem razão, e devagarzinho vamos descobrindo! Que tal?

- Feito! Amo tanto você, desculpe por essa ceninha!

- Não se preocupe, eu te entendo... E também gosto tanto de nós dois juntos!

- Ótimo, porque a propósito, vamos almoçar com seus pais no domingo!

- Como é?

- Liguei para sua mãe hoje à tarde, achei o telefone dela no seu celular enquanto almoçávamos.

- E...?

- Comentei da sua irmã, achei legal que nos conhecêssemos todos de uma só vez. O que acha?

- É... É...

- Ela achou estranho...

- O que?

- Essa história de irmã...

- Eu posso explicar!

- Não se preocupe com isso. Descanse um pouco e amanhã nos falamos melhor, vou passar a noite com meu irmão.

- Mas... Mas... Você é filha única!

3 comentários:

Ana Paula disse...

E eu que achava q irmão não servia pra muita coisa...rs

Tatiana disse...

Eu já tinha gostado. Li outra vez e gostei de novo!

Anna Karyna disse...

Fá,

Muito bom!!! Adorei!!!
Parabéns!!!

Beijinhos,